Abre as Asas sobre Nós

"Proclamação da República" - 15/11/1889 - Campo de Santana (Rio de Janeiro). 
Óleo sobre tela de Benedito Calixto (1893)


"Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós. Das lutas, na tempestade, dá que ouçamos tua voz.

O Hino da Proclamação da República é nosso hino pátrio menos conhecido, menos divulgado, menos tocado. Principalmente se comparado ao "Ouviram do Ipiranga..." do Hino Nacional. Um hino com melodia forte, mas letra muito complexa com seu vocabulário extremamente erudito até para a época, além de sua estrutura com inversões complicadas que sacrificam a intelecção em nome da rima.

Nossa canção da República também não conta com melodia tão conhecida como outro hino, o da Independência ("Já podeis da Pátria filhos..."), composta por nosso próprio primeiro Imperador, ou mesmo como o Hino à Bandeira ("Salve lindo pendão da esperança, salve símbolo augusto da paz...").

Raros os Países que tem tantos hinos pátrios quanto o Brasil. A maioria dos Países tem em seu hino nacional uma expressão de sua nacionalidade, independência, forma de governo, bandeira, etc.Talvez seja mais uma expressão de uma de uma de nossas maiores características nacionais: o plurarismo.

Nosso plurarismo e "variação" estão também presentes na história de nossas Bandeiras Nacionais. No total, desde a descoberta, por essas terras tremularam 13 bandeiras pátrias, incluindo a atual.
No momento da polêmica proclamação pelo Marechal Deodoro, 15 de novembro, a primeira bandeira republicana foi essa:



Idealizada por nada menos que Rui Barbosa, mas um nítido plágio do pavilhão norteamericano, e que depois serviu de base com suas variações para diversas bandeiras estaduais nossas.
Mas essa durou pouco. Quatro dias depois, foi substituída pela atual em 19 de novembro de 1889, por isso data comemorativa do Dia da Bandeira.

- Então Viva a República! Feliz 15 de Novembro!

Esse seria o tema do próximo livro de Laurentino Gomes, "1889", que completaria a trilogia de história-reportagem com "1808" e "1822". Vamos aguardar.

< / >.


Confira a letra completa do Hino da Proclamação da República, letra de Mederios e Albuquerque para melodia de Leopoldo Miguez:


Seja um pálio de luz desdobrado,
Sob a larga amplidão destes céus
Este canto rebel que o passado
Vem remir dos mais torpes labéus.
Seja um hino de glória que fale,
De esperança de um novo porvir,
Com visões de triunfos embale
Quem por ele lutando surgir.
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas, na tempestade
Dá que ouçamos tua voz.
Nós nem cremos que escravos outrora,
Tenha havido em tão nobre país
Hoje o rubro lampejo da aurora,
Acha irmãos, não tiranos hostis.
Somos todos iguais, ao futuro
Saberemos unidos levar,
Nosso augusto estandarte, que puro,
Brilha ovante, da Pátria no altar.
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas, na tempestade
Dá que ouçamos tua voz.
Se é mister que de peitos valentes,
Haja sangue em nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes,
Batizou este audaz pavilhão.
Mensageiro de paz, paz queremos,
É de amor nossa força e poder
Mas da guerra nos transes supremos,
Heis de ver-nos lutar e vencer.
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas, na tempestade
Dá que ouçamos tua voz.
Do Ipiranga é preciso que o brado,
Seja um grito soberbo de fé,
O Brasil já surgiu libertado,
Sobre as púrpuras régias de pé.
Eia pois, brasileiros, avante!
Verde louros colhamos louçãos,
Seja o nosso país triunfante,
Livre terra de livres irmãos!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós
Das lutas, na tempestade
Dá que ouçamos tua voz.




3 comentários:

  1. Varga - seu irmão15 novembro, 2011

    É Varguinha, cada vez mais as "novas" gerações que sucedem as "antigas", conhecem menos dos símbolos e valores pátrios. Acho que as aulas de EMC, OSPB e EPB eram muito úteis.
    Como diria o Ten. Santana (lembra ?): O cidadão não sabe cantar o Hino Nacional inteiro mas, se pedir para ele cantar a boquinha da garrafa, rebola até embaixo. Ô guerreirôôô.

    ResponderExcluir
  2. Varga - seu irmão15 novembro, 2011

    O Ten. Santana é que "comandou" o meu juramento à Bandeira e mandou aquela pérola que citei. Em tempo, todos cantaram o Hino Nacional, as duas partes, a plenos pulmões.

    ResponderExcluir
  3. Lembrei! O Santana era um QAO da CSM que trabalha consoco na Comissão de Seleção.
    Super boa gente. Figuraça!
    :)
    < / >.

    ResponderExcluir

Por respeito aos demais leitores, o autor do blog se reserva o direito de filtrar comentários julgados inapropriados e spams. Agradecemos seu comentário, que será publicado depois de verificado. Muito obrigado. :)