Seis Regras Simples - Yves Morieux

   
Título: Seis Regras Simples
Autor: Yves Morieux & Peter Tollman
Tradução de: Six Simple Rules
Editora: HSM
Ano: 2014
Páginas: 184
ISBN/EAN: 9-788567-389516

A Humanidade está sofrendo outra crise de Produtividade.

Com esse alerta, os profissionais do Boston Consulting Group - BCG, Yves Morieux & Peter Tollman, pautam o livro Seis Regras Simples.

Estamos complicando nossas organizações a ponto de consistentemente diminuir a Produtividade. Em nome da Clareza, Mensurabilidade e Responsabilização, estamos criando bloqueios e obstáculos ao bom trabalho e bons resultados. 


A complexidade pode ser boa para um negócio ou setor, mas apenas se você for capaz de dominá-la. Isso trará diferenciação e vantagem competitiva.
Mas se a complexidade crescer além do seu domínio, você cria um monstro que tem vida própria.
Os processos, regras, índices chegam a um nível de complexidade que ao invés de ajudar o negócio, prejudica-o.

Já viu isso em algum lugar?

Nesse processo, normalmente as organizações buscam usar uma de duas abordagens:
1. Hard – estruturas, processos, sistemas e programas de incentivos. Assumem que os sistemas são previsíveis e as pessoas controláveis. E isso basta.
2. Soft – team building, iniciativas individuais, liderança informal e incentivos emocionais. Assumem que a performance é resultado de relações pessoais e regras psicológicas. Apelando para o emocional das pessoas, você as controla. E isso basta.

Algumas organizações optam por um misto das duas, mas raramente saem desse esquema.

No entanto isso só torna as organizações complicadas e ineficientes.
Na verdade, segundo os autores, é necessário menos controle (seja por sistemas ou psicológicos), menos sistemas, mais flexibilidade e mais autonomia.

Então como aumentar a eficiência, diminuindo a complexidade organizacional?

Segundo Morieux & Tollman não é através da complexidade de organogramas, processos, índices, métricas, ao contrário, eles defendem a ‘Simplificação Inteligente’ (Smart Simplicity).

A dupla propõe 6 Regras Simples para operar:

1. Entender o que os demais fazem – quem faz realmente o trabalho? Olhe além de organogramas e responsabilidades teóricas.

2. Reforçar os Integradores – remova camadas que não agregam ou que desagregam. Diminua as regras que impedem os times de decidirem por si mesmos. Dê mais autonomia à ponta dos processos.

3. Aumentar a quantidade Total de poder – e não os poderes parciais. Algo do tipo “a energia total da soma é maior que a soma das energias individuais”.

4. Aumentar a Reciprocidade – remover obstáculos que não agregam reciprocidade. “Te agarro pelo nariz e você me prende pela orelha”. Responsabilidade recíproca.

5. Aumentar a ‘Sombra’ do Futuro – entender o impacto futuro das ações presentes. Enxergando o alcance das atitudes de hoje no futuro ajuda a tomar decisões presentes mais conscientes.

6. Recompensar pela Cooperação – e punir pela não cooperação. Punir não pelo resultado, mas pelo não-esforço. Muita gente acha ariscado cooperar, quando na verdade o maior risco está em não fazê-lo.

Segundo Morieux & Tollman, as 6 Regras geram mais produtividade por gerenciar melhor a complexidade. E em uma época de crise de produtividade, controlar a complexidade se faz muito necessário.

A palestra de Morieux no TED (2013) ilustra bem os conceitos do livro. Vale assistir:

video

E você? Concorda com as ideias dos autores?
A organização onde você trabalha ou colabora tem incrementado os obstáculos para a Produtividade?

Pense!

< / >.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por respeito aos demais leitores, o autor do blog se reserva o direito de filtrar comentários julgados inapropriados e spams. Agradecemos seu comentário, que será publicado depois de verificado. Muito obrigado. :)